Usina de Itaipu atinge produtividade recorde em 2019

Postado em: 02-01-2020

Mesmo com chuvas abaixo do normal, a Usina de Itaipu atingiu a produtividade recorde em 2019, com 1,0794 de megawatts-hora, medido em metros cúbicos por segundo. A eficiência na operação da hidrelétrica, que fica na fronteira do Brasil com o Paraguai, foi a melhor em 35 anos, segundo a usina.

O indicador da produtividade estabelece a relação entre a quantidade de energia gerada com a vazão turbinada. Isso significa o volume de água que passou pelas unidades geradoras, medido em metros cúbicos por segundo, conforme a hidrelétrica.

Outra análise levada em consideração, segundo a usina, é o fator de disponibilidade de unidades geradoras (FDO).

Ele indica o percentual de tempo em que as unidades geradoras estavam prontas para atender as demandas dos sistemas elétricos do Brasil e do Paraguai. Em 2019, esse fator foi de 97,55%, um novo recorde de disponibilidade de Itaipu.

Produção de energia
Na produção de energia, de cordo com os dados levantados pela Itaipu, a usina produziu mais de 79,4 milhões de megawatts-hora (MWh) em 2019. O índice é um dos melhores durante a história da hidrelétrica. Essa energia seria o suficiente para abastecer o mundo por um dia e seis horas.

No caso de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, onde fica parte da hidrelétrica, a energia gerada poderia abastecer a cidade por mais de 140 anos, segundo a hidrelétrica.

Conforme a usina, 2019 foi um ano hidrológico difícil, por isso, a marca histórica chama a atenção. A eficiência máxima da hidrelétrica aponta que a operação foi realizada sem desperdício de água.

A hidrelétrica
O reservatório de Itaipu é o sétimo maior do país, com 1.350 km². A usina funciona no sistema de acumulação, com o armazenamento de água para ser usada nos períodos de estiagem e manter a capacidade do nível de produção de energia.

Com 20 unidades geradoras e 14.000 MW de potência instalada, fornece 15% da energia consumida no Brasil e 90% no Paraguai.