Em entrevista ao “Domingo Fantástico”, Gustavo Correa também relembrou a tentativa de homicídio. “Quando a Ana desmaiou, ele atirou. Eu voei em cima dele e já peguei a arma. Eu disse: ‘Corre, corre’. Vi que ele era menor do que eu. Joguei ele na parede e segurei o gatilho, mas ele não soltava”.”Então eu mordi o braço dele muito forte. Dei uma rasteira nele e ele bateu a cabeça forte no chão, abrindo a cabeça. Isso durou uns dois minutos. Eu fui virando o braço dele pra trás até a nuca e disparei duas vezes. E acabou ali”, contou.

Gustavo afirmou que só depois disso tudo soube que a mulher, Giovana, estava ferida e havia sido levada ao hospital: “Foi muito sério o que aconteceu. O tiro atravessou braço, abdômen, intestinos grosso e delgado, pelve e parou na femural. A bala está alojada, mas eles não querem retirar. A nossa maior preocupação é a infecção que pode vir depois”.