ANAC AUTORIZA AEROPORTO DE TOLEDO A RECEBER AERONAVES DE GRANDE PORTE

Postado em: 05-04-2017

Após diversas ações de estruturação e esforços do Governo Municipal, o Aeroporto Municipal Luiz Dalcanelle Filho pode receber agora aeronaves de maior porte. Na terça-feira (31) foi homologada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) a Portaria N° 618/SIA, publicada no Diário Oficial da União, que reclassifica o Número de Classificação de Pavimento (PCN) da pista do aeroporto. O número passa de oito para 33. Toledo também está inclusa nos investimentos do Governo Federal nos aeroportos do Brasil.

O PCN indica a resistência de um pavimento e constitui o principal requisito para que o aeroporto receba aeronaves maiores, como o Jato Embraer 175 e ATR-72.  Segundo o prefeito Beto Lunitti, a novidade é mais uma conquista para o aeroporto municipal. “Nossa pista já tem um valor importante pela posição favorável e condições climáticas. Agora, com essa reclassificação poderemos avançar ainda mais no objetivo de que tenhamos aqui vôos regulares. A princípio poderemos atuar como uma alternativa de pouso para as situações em que o aeroporto de Cascavel e Foz do Iguaçu estiverem fechados”.

Para o comandante Clairton Hammer, a alteração do PCN coloca Toledo um passo a frente dos demais municípios e dá mais condições para os investimentos da Secretária da Aviação Civil da Presidência da República (SAC). “Isso permite a operação de aeronaves maiores, garante operacionalidade melhor e determina uma mudança importante para o futuro do aeroporto”. Hammer salientou que Toledo deverá receber em breve vôos alternados de empresas aéreas. “Poderemos agora ter um vôo da Azul com Embraer 195, por exemplo. Além disso, garantimos aeronaves de porte maior não só comercial como executiva”.

O comandante comentou ainda, que a pista atual deve ser aproveitada no projeto da SAC. “Toledo vai receber uma nova pista, um novo pátio, novo terminal de passageiros para a aviação comercial, mas essa pista, por toda a sua capacidade não será descartada, e sim, se tornará uma futura pista auxiliar para os vôos comerciais e uma pista exclusiva para os vôos executivos, ou seja, o município poderá atender a uma importante demanda”.